24.11.11



As Diferenças e A Saudade e Ele

Se eu digo sim , ele diz não
Se eu quero silêncio ele quer som
Se eu vou embora ele me pega pela mão
Se eu quero montanha ele quer sal
Se entrelaço as pernas ele come no chão
Se ele é do bem eu sou do mal
Quando vou ele volta
Quando agarro ele solta
Dobro a esquina
Ele imagina nua
Ele parece um sol
Me chama de lua
Toca as cordas e ata os nós
Gostei dele a primeira vez que experimentei
Ele repetiu eu capitulei
Ele tem fé eu sou descrente
Ele é comum eu diferente
Tem os olhos mais verdes do planeta
Eu não enxergo nada sou cegueta
Ele namora e eu gosto
Ele me desafia
E eu aposto
Pago pra ver
Beijo por prazer
Tateio pra saber
Fecho o olho pra enxergar
Tomo seu chá
Faço seu jantar
O mundo é pouco
O amor é muito
A sala pequena
O quarto não dá
Fico menos do que queria ficar
Você já vai
O mar separa
Como vou ser feliz
Santa saudade infinita....

Um comentário:

Maíra da Fonseca Ramos disse...

Como eu amo o nome do seu blog!!!!!! Queria que fosse o meu. E a vida é mesmo cheia de "duplos" e de contradições... Adorei o poema!