30.10.11



Aos Que Exageram

Adoro ser usada pela poesia
Gosto da forma egoísta dos artistas
Vejo beleza em quem sofre por amor
Assisto encantada aos que são intensos
São como flores que brotam
Exageradamente coloridas
E em breve morrem
Mas por um tempo vivem em nós
Enfeitam nossa existência
Gosto dos que não se importam com nada
Apenas sentem
Viver num é ser correto
Viver é ser único
Se perder sem água num deserto
Prefiro a lava do vulcão
Em vez de manteiga no pão
Torço pelos bêbados
E os mocinhos me dão sono
A tristeza e o riso se completam
O negócio é ser tudo ao mesmo tempo agora
E aqueles que de um “oi” já sonham com “sou louco por você”
O que dizer deles...
Pra que ser coerente, decente, descrente da paixão
Se a gente ta aqui pra sentir
Se inventar um amor é permitido por Platão
Inventemos o amor porque assim serei feliz
Dorme e faça dos seus sonhos poesia
Não há o que fazer sem provocação
A falta da dor faz sumir a ternura
O tédio enferruja o coração
Gosto dos que dormem debruçados sobre a mesa
E daqueles que enxergam o rosto do amado no fundo do copo
É um cubo mágico entender o que se sente
Nunca as cores vão casar
Labirinto, quebra-cabeça, desenho abstrato
Eu e você, ela e o outro, ele e ele, ela e ela
Desses desencontros brotam o cactos e o girassol
Pela frente 90 anos e as linha são paralelas
Encontra comigo, me usa e abusa, poesia

6 comentários:

Gi B.H. disse...

Gostei demais...

Jujuba, 24 anos disse...

Eu gostei muito e me identifiquei com o texto!
Parabéns, escreve muito bem.. acho que é o sentir, né?
=)

Ana D disse...

Obrigada moças :)

Alexandre Pitta Guedes disse...

Muito bom mesmo!
Li muita coisa boa hoje, mas esse foi meu favorito :)
Parabéns!

Se perder sem água num deserto...

Guilherme Navarro disse...

Esplêndido!

carlos disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.