18.8.11



A dor maior é deixar de amar quem sempre amou

Algumas vezes eu disse "tchau" sabendo que era "adeus"
Algumas vezes ouvi "se cuida" sem saber que era uma despedida...
Ler seus pensamentos traria angústia
Como angústia sinto ao não te ver
Frases são pistas
Gestos são indícios
Entendi não te sigo mais
Naquele dia tonta não pude te dizer
Voltar no tempo não há como
Tristeza embaçou a mente e eu sorria de tudo
As vezes faço isso
Bebo vinho tinto choro e falo demais
Clássica bêbada que disfarça a dor
Aquele era um dia triste
Não devia te encontrar
E agora o que ficou se você não lembra mais
Tive o tempo, desperdicei
E mesmo que eu te diga “vem”
O sol que ta aqui e ta ai, não nos une mais
Estive ao seu lado
Vi tanto, pelo canto dos meus olhos observei
O tempo volta, desejaria que sim
Refazer alguns momentos
Porque minutos podem ser eternidade
Um encontro feito de profundo silêncio
Mesmo que eu tanto tenha falado
Ficou em minha memória
Depois daquele dia tantos dias se passaram
Naquele dia no qual eu disse nada com nada
Fui chata, fui feia, fui insensata,
Sou dos momentos que vivemos
Das palavras que trocamos
Sou mais do que pareço ser
Tenho tanto e tão pouco
Fiz sonhos pra mim e pra ti
Sou quase desatinada
Você ta no meu coração
Sou segura na vida
Mas você me desaprumou
Um dia você me disse
Que a dor maior é deixar de amar quem sempre amou
Do nada o desencanto
O pranto por não mais gostar
Senti tantas vezes isso
Fica um vazio, um dia triste
A tarde que se põe as folhas do outono
O Sol que já não brilha...
Mas por mim ainda amaria você...


3 comentários:

Rejane disse...

Annna,
Não teve como não chorar ao ler esse texto. Vc tá igual ao N, parece que lê meu coração e diz o que sinto rs.
Seu que esse texto não foi feito propriamente para mim, não tem nada haver com minhas histórias e minhas perdas, mas que dom magnífico o de através de poesias chegar perto, abraçar e acolher tantos corações.Muito obrigada por suas poesias.
bj

Ana D disse...

Obrigada eu pelas palavras delicadas...

Janaina disse...

Que lindo, Ana!
Sabe que essas pequenas coisas, esses pequenos gestos realmente querem dizer outras coisas. E muitas vezes, a gente não percebe...