24.6.11




O Dia Mais Triste De Todos Os Dias Tristes

Eles se encontraram
Ela com o terninho marrom com a flor lilás na lapela
Ele com o all star preto de sempre
Ele segurou na mão dela, sem entrelaçar os dedos,
mas apenas tocando de leve as pontas.
Sentaram na lanchonete americana
Ela pediu um sanduiche pequeno, tava sem fome
Ele pediu o maior como sempre.
Sentaram
Ela falava, falava, como uma promotora no assassinato do ano
Ele permanecia
Permanecia e só. Como sempre. Calado.
Era ela e a parede da lanchonete americana.
Era ela e a muralha, o coração instransponível
Ela falou como ele era um garoto trancado
Falou como a garota passional que era.
Isto não combinava.
Ela pensava em todos os motivos que o fizeram desistir.
Mas talvez tenha sido somente o desencanto...
A batata frita ficou fria e borrachuda e o refrigerante sem gás
Levantaram e seguiram pela larga avenida.
Agora, cada qual por um lado da calçada.
Seguiu-se o silêncio
Cada qual com seus pensamentos.
A despedida foi quieta
Naquele momento nada mais havia por falar...
Ela pegou na mão dele e disse tchau.
Só que ela pegou na mão dele e entrelaçou os dedos ainda mais uma vez.
Mas disse tchau.
O que mais poderia fazer ?

3 comentários:

Rejane disse...

Mas talvez tenha sido somente o desencanto......
é uma pena, triste!

Dia triste o de hj.

bj

Gi B.H. disse...

Combinou com o meu humor

Fernanda Rodrigues (Fê_Notável) disse...

Despedidas são eternamente tristes, ainda que necessárias.

Belo texto, mto tocante, desses que nos faz refletir.

Beijos

http://escritoshumanos.blogspot.com/
http://algumasobservacoes.blogspot.com/