6.1.09



Histórias de Amor, Ausência, Saudade, Encontros, Despedidas e Reencontros

Ela adorava revolver velhos livros, em velhos sebos, instalados em velhos casarões....Ia sempre em um que ficava numa rua do Centro antigo da Cidade. Por lá se perdia por horas, sentava-se nos grandes sofás, onde os freqüentadores dividiam espaço com 4 gatos siameses de olhos atentos. Ela procurava um livro de Ana Cristina Cesar. Pegou um de Clarice Lispector, uma de suas preferidas, junto com Florbela Espanca e Silvia Plath. Ela gostava das escritoras geniais e atormentadas.

Leu pequenos trechos do livro de Clarice: “Saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença. Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida”. Como não gostar desta mulher ?

Continuou a ler. De repente de dentro do livro, caiu um pequeno pedaço de papel amarelado pelo tempo..Não se conteve a passar os olhos:

Rio, 12 de dezembro de 1966

Minha Muito Querida Felicia
Escrevo-te com a intenção de que me perdoe. Fui um tolo...Te pedi coisas que sei esta além de tuas possibilidades, mas é que me dói, me faz ficar doente ficar sem ti, por vezes não como, não penso, obcecado estou...Tal qual um viciado. Antes mesmo que me digas “tenho que ir” já me dói o coração. É como se já sentisse tua ausência, os dias vazios de tua presença. Me dói o corpo de saudade, me falta o ar....Em algum momento sei que tens que partir com lágrimas nos olhos, assim como sei que um dia voltas com esse teu sorriso que amo tanto..E é este momento que me faz seguir adiante. A saudade me consome, mas teu retorno é meu ar puro, é o azul do céu, é o amarelo dos jardins de girassóis, é o verde das altas montanhas, é o riso do meu filho....Vivo destes momentos e bem sei que devo ter paciência porque um dia estes serão dias comuns em nossas vidas....Eu te amo, bem sabes, e por isso sigo...Beijos, beijos...

Daquele Que Não Deixa De Pensar Em Ti,
Theo

Ela recolocou o bilhete dentro do livro e ficou a pensar o que haveria de ter sido daquela que parecia uma linda história de amor....

25 comentários:

Estava Perdida no Mar disse...

Será que ela leu a carta? Será que eles ficaram juntos? Será que ele só escreveu e nunca entregou? Será que já faleceram ou ainda estão juntos até hoje.

Será????

Nossa, mil é uma (S) idéias passando pela minha cabeça.
Lindo post

Jana disse...

e é real é emocionante, imaginar se a carta chegou a destinatária, ou o remetente esqueceu-a dentro de um livro...

Eu adoro sebos!

Beijos

Bárbara (B.) disse...

Ah... acho que sou egoísta demais. Fico pensando nos meus (des)amores, nas minhas dores, no que poderia ter sido, mas não teve tempo de ser.

Acho que ando meio depressiva, moça, perdão.

A carta é linda mesmo, faz a imaginação voar alto.


Beijo meu.

mariah disse...

eh um post de se pensar e MUITO em hahaha.sera ke eles fikaram juntos? que ela leu ? que eles foram felizes? se nao foram ?..hahaha..

vai intender. a vida eh assim msmo . ante sempre eskuta historias alheias. e as vzs ate tem vontade de ke as nossas sejam assim

=*

Fersi disse...

não tem como não ficar divagando e tentando adivinhar o que aconteceu com o destino dessa carta.

gostei muito do post!
Abraço!

ventania disse...

Esse texto me lembra da minha antiga mania de copiar frases de um livro em um papelzinho e colocar em outro. Era um barato reler algum livro e encontrar um papelzinho[que eu sempre esquecia que tinha posto ali]

Cartas alheias sao sempre um alimento pra imaginaçao. Sao deliciosas.

Eu s'o volto meesmo a postar direito mais pro final da semana, que é quando eu volto pra casa.

;*

Márcia(clarinha) disse...

Pois é...imagino o tanto de amor de Theo por Felicia,será que essa carta lhe chegou as mãos?
Belo texto queridAninha.

lindos dias,
beijos

garotabossanova disse...

Cartas antigas em livros idem.Este é um argumento perfeito para histórias de amor.Sim, eu ainda acho que histórias de amor deveriam parar em um livro, ainda acho que histórias de amor ainda ão de existir sempre.Um beijo!

Ingrith disse...

Uma emoção sem limite, né? Adoraria saber o final desse romance...

Bruna disse...

Blog encantador...
playlist linda...
obras lindas...
visual lindo...
tudo lindo =)
Amei dii paixão seu blog.

Vou voltar sempre.
Beju grande...e que você possa continuar sempre se espressando tão lindamente, trazendo um sorriso no rosto de seus leitores.

Mary West disse...

O importante é imaginar que a carta cumpriu a sua parte.

Line disse...

E é por isso que os sebos são encantadores...
Os livros trazem dentro de si, não apenas a sua história, mas a história de seus antigos donos...
É como uma corrente, livros passando de mãos em mãos...
Eu espero que Theo e Felicia tenham sido felizes, de verdade.


Beijos =*

L.S. Alves disse...

A carta chegou. O amor mudou. E numa mudança a carta seguiu o livro e foi instigar outras vidas.
.
Um abraço moça.

Fecer disse...

Esse texto veio a calhar...
Eu adoro cartas.

Hoje em dia quando falo em saudades, alguns amigos me acham tolo. Vai entender!

Beijo.

Etc e tal disse...

Eu estava imaginando... Tudo, imaginando ela sentada lendo......

ventania disse...

nao estou na praia nao, estou em belo horizonte, mas na casa da minha vo tem piscina...
nao foi opçao, eu venho pra ca pra ficar com meu pai pelo menos uma vez por ano, e ano passado eu nao vim...
entao eu tava 'devendo' vir aqui..
entao voce também é do time das branquelas?
eu sou a mais branca da familia e todo mundo me enche, falam que eu brilho no escuro ;p

;*

Bruna disse...

Aah, eu no lugar dela. O teria perdoado... E espero que ela tenha feito o mesmo. A carta de parecue ser um tanto sincera...
Ótimo post!
Beijos!

ronaldo disse...

"...o que haveria de ter sido daquela que parecia uma linda história de amor."

Já questionei isso ao mexer naquelas caixas que ficam no fundo do guarda-roupas e ver as antigas cartas de amor. As poucos que resistiram ao tempo.

Engraçado pensar nisso.
Pois é neste ponto que as cartas que resistiram perdem a importancia romantica que um dia tiveram.


Beijos!!!
dias chuvosos por aqui.

Cin disse...

AH! eu adoro viajar na história dos outros...pela carta parece mesmo ter sido um grande amor.
Bjinhos!

Bárbara (B.) disse...

Que bom que gostou, moça!

Janaina disse...

Eu sou rata de sebo. E sempre que vou comprar livros que não são técnicos, procuro os que têm anotações, rabiscos etc.
Sempre há uma boa história. E é sempre interessante saber de quem aquele livro foi dono antes de você pertencer a ele...

Thiago disse...

E talvez a carta pode não ter chegado ao destinatário e mesmo sem saber ter feito tal efeito em quem a encontrou!

DO disse...

Acho tão bonito!

:)

Beijos,Ana!!

Ordisi Raluz disse...

Gostei da idéia, vou modernizá-la um pouco e deixar um número de celular pelos sebos da vida.

Sério, agora, belo texto.

Beijos românticos.

Morena Flor disse...

coisa gostosa o que tu escreve, viu?