22.11.08



A Janela Da Frente

Tinha dias que Maria pensava intensamente em toda a vida que tinham vivido juntos...Em todos os pedaços dela que havia deixado nele...Maria havia oferecido seus dias de vida, sua sala de paredes antigas e mofadas,havia bordado pequenas almofadas coloridas para disfarçar seu sofá puído, havia colocado violetas na janela na intenção de transformar a velha casa num lar doce e aconchegante ...Havia cozinhado pra ele, deixado ele repousar a cabeça nas suas fronhas cheirando a lavanda, ele havia usufruído de sua paixão e nudez, ela havia lhe dado metade de sua cama, lavado seus pratos sujos depois do jantar. Tinha perdido sua liberdade, dividido seus sonhos, que anos mais tarde percebeu serem sonhos sonhados sozinha...E ele tudo aceitou, dando a elas esperanças de uma vida feliz...

Um dia, na manhã de seu aniversário de 45 anos, Maria acordou de um sono pesado, depois de ter ido dormir com o rosto lavado de lágrimas. Estendeu a mão, o lado da cama frio e desocupado lhe dizia que ele tinha acordado, ou talvez nem deitado. Chamou seu nome baixinho “ Dioniso”. Caminhou ainda zonza até a pequena cozinha, tomou um gole de café requentado e doce demais. Seus olho então pousaram na mesa de fórmica azul onde ele havia largado a chave da porta, que anos atrás havia aceitado junto com seu coração...Voltou ansiosa pro quarto, abriu o armário e deparou-se com um vão vazio onde antes pendurava seus paletós e camisas engomadas com tanto capricho e carinho....Maria entendeu...Nem um bilhete, ele apenas havia lhe devolvido a chave...

Maria comeu do pequeno bolo que havia feito na noite passada, enquanto esperava por ele até madrugada...Comia pequenos pedaços com os dedos sujos de glacê, enquanto lágrimas engasgavam em sua garganta.
Preste atenção querida
Em cada amor tu herdarás só o cinismo
Quando notares estás à beira do abismo
Abismo que cavastes com teus pés
(O Mundo è Um Moinho - 100 Anos de Cartola)

17 comentários:

isa disse...

Uhn, bolo com glacê. Que delícia! hauehuahea
Mto bom o texto ^^

Anne disse...

Pelamor, que triste isso. É triste demais quando um amor acaba, ainda mais qdo acaba de um só dos lados. Deu até uma dorzinha aqui em ler isso, já tive que mandar embora alguém q eu amava, pq descobri com os anos que algumas vezes o amor não é o suficiente...

Lindo texto, minha querida. Triste, mas lindo.

Bjos, montes deles!

ventania disse...

transmite muita tristeza...
nossa, adorei.
adoro quando um texto mexe com o que sinto.

;*

DO disse...

Gostei. Emocionalmente triste!!

Beijão,Ana!!

ventania disse...

sumi um pouco porque viajei no feriado[com o fecer] e voltei ontem só, e se der tempo e o cansaço deixar, eu posto por aqui. Mas a partir de amanhã eu vou ter mais tempo pro mundo internético porque amanhã começam as férias *-*
álias, obrigada por passar, me senti feliz :]

;*

Fersi disse...

Muito lindo Ana. Mas também muito triste. Passa a sensação do quanto tudo na vida é passageiro... *Dorzinha no coração*

Gostei muito do post.

Abraço!!!

Ordisi Raluz disse...

Poisé, Ana, um perfeito pictograma da Amélia.

Beijos com glacê.

Jana disse...

lindo, triste e verdadeiro... ta que eu chorei aqui, pq sabe eu sei o que é a senssação do vazio rs

beijos

Estava Perdida no Mar disse...

E doeu pensar q qq uma de nós pode ser Maria.
Infelizmente.

ohninan disse...

Acho que fiz algo semelhante mas o nome dela não é Maria e nem com M começa mas com i termina e seu apelido coml inicia....como amo essa mulher, mas vai passar

ANDREA MENTOR disse...

abismos que cavamos com nossos próprios pés... lindo demais ana... lindo demais!

Mila disse...

Nem me fale menina... qts vezes ja mandamos embora com vontade de pedir pra ficar, né?

JOCENDIR CAMARGO disse...

Sabe, a tristeza num esta em ficar só.... está numa péssima companhia ocupando um espaço que poseria ter alguém melhor.... creio que Maria ainda terá essa sorte...
belo seu espaço... um bom fim de semana e um beijo com meu carinho...

Pequena Poetiza disse...

nossa
eu quase pude me sentir a própria maria
no fim da leitura
era como se tivesse o gosto de glacê em minha boca.

muito lindo querida

bjos

Pavón disse...

Muitas vezes confundimos o amor e nos iludimos, despejamos sonhos solitários na esperança de que se tornem em conjunto, solicitamos sinceridade e ganhamos duvidas, vivemos uma vida que nao é nossa e só percebemos quando vemos que nossa vida se foi, deixando apenas as chaves do nosso coração...

Beijos

Mary West disse...

De uma doçura e uma melancolia inexplicavel. Belo texto.

Imcompreendida disse...

Ana, vc escreve muito bem... adorei!!! Este trecho desta música esta no meu "aprendi com relacionamentos anteriores" do orkut... rsrsr

Um abraço,