3.9.07


Sobre Abandono, Desencontros, Solidão E Todas Estas Coisas Decorrentes
(Ou Como As pessoas Se Perdem De Si E dos Outro Neste Mundo De Não-Amizade E De Amizades-Instântaneas)

As luzes no ar...Neons que piscam..Brilho e penumbra inundam a noite...Eles seguem lado à lado..Ele pensa”quem é você ”...Claro, não ousa perguntar...
Os olhos deles passeiam sem se fixar em nada, porque na noite os sentidos são mais volúveis...
Ele consulta seus ponteiros internos e apressa os passos para que ela não possa alcançá-lo..Ainda da uma última olhada por sobre o ombro, na esperança que esteja ainda lá a moça desvendada ou não...No entanto, constata que ela se perdeu no meio da multidão, que não conseguiu alcançá-lo, que ela não quis apertar o passo, porque talvez achasse que ele não a esperaria....
Na duvida, tinha que ir...Adeus..Ficasse então em seu caminho, porque ele, andarilho sem certezas, tinha que seguir...Não se encontrassem então...Seria a escolha ?


Memória Sobre Um Sorriso Teu

Sorrio na memória de conversas que trocamos em cafés que não existiram, em uma cidade que nunca esteve. Eu gostava daquelas horas em que apalavrávamos sobre planos e o riso ecoava , em que ocupávamos as horas numa abundância de carinho e atenção que julgávamos merecer.Agora tudo é diferente, os momentos tão recentes já parecem esmaecidos pelo tempo dos silêncios vagos .Em alternativa reencontro-me contigo num sorriso que permanece em meu rosto sempre que te tenho in memoria....

(Inspirada em "desconversas" entre amigos e com O Poeta Morto Para O Mundo)

PS: Gosto dos textos em primeira pessoa , na maioria das vezes são resultantes apenas de observações do mundo ao redor e não situações ou atitudes vividas por mim. Só um jeito de escrever. rs.

13 comentários:

Márcia(clarinha) disse...

Depois eu que descrevo nas insanidades das noites insones as cenas etéreas e de um romantismo sublime, não é doce Ana D?
Sei, sei...
Espetáculo!
lindo dia minha queridíssima
beijos
*me conta como está de frio aí? não vale me dizer que nem tá sentindo viu? rsss
**beijos na mãe...

Ana D disse...

Clarinha o frio maneirou, mas teve uns dias ai que pensei seriamente em construir uma lareira em meu apê hahaha...Me contentei com um aquecedor e 3 edredons :) hahaha...Mas sabe eu gosto ...reclamo mas gosto haha..Tão romantico o frio :P:P mãe remanda o beijo de volta :) e fica feliz pela lembrança ...Beijo !!!

Mila disse...

Sorrio na memória de conversas que trocamos em cafés que não existiram, em uma cidade que nunca esteve.

As tais idealizações. To falando com a Cin sobre isso... neste momento.

Diego Melo disse...

--Memória Sobre Um Sorriso Teu

Ultra-mega melancólico me pareceram esses versos.
o trecho que mais gostei foi este: "Em alternativa reencontro-me contigo num sorriso que permanece em meu rosto sempre que te tenho in memoria...."
Porque me lembra uma parte de um dos poemas mais lindos dos vinicius

"No entanto a tua presença é qualquer
coisa como a luz e a vida
E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minha voz a tua voz." (Ausência - Vinicius de Moraes)

Acho tão bonito essa coisa da outra pessoa ficar conosco em forma de sorriso ou na voz, no jeito de falar. É uma "homenagem" silenciosa e particular que fazemos aos nossos Amores - Pensas assim também ?

O primeiro texto também me chamou anteção, é bem inscrito (não tanto quanto o segundo, eu acho). Os dois textos ganham brilho nos últimos versos e esses desencontros me angustiam de uma forma absurda que só de ler parece que eu sinto.

obs: Teu palpite em relação ao meu texto ter um tom auto-biográfico está correto. Não é nenhuma obra-prima, nem chega perto disso mas eu realmente gostei desse 'vence na vida quem diz sim' porque algumas pessoas que leram ficaram emocionadas e foi uma experiência nova pra mim que quero fazer cinema. Essa sensação é inexplicável e a poesia e o cinema tem essa capacidade de chocar, emocionar etc. O "criador" que sente que provoca no outro algum tipo de emoção enxerga nisso uma dádiva, algo que recompensa.

'Vence na vida quem diz sim' quer dizer muita coisa pra mim, tem influência da música do chico e da teoria do eterno retorno do Nietzsche.. mas eu não quero te fazer ler um monte de coisa aqui, muito menos parecer um chatóla.

- É isso.

She Python disse...

são 4 da matina... shecell1979@hotmail.com
bora que te apresento a cidade... rs...

Jana disse...

"Sorrio na memória de conversas que trocamos em cafés que não existiram, em uma cidade que nunca esteve"

Pq todo mundo tem isso de pensar no não sido né....

ai ai ai

Beijos

Anne disse...

Aninha querida...meu sonho de consumo ultimamente tem sido reunir eu, vc, a Jana, a Cin, a Mila e a paulinha pra gente bater um papo cabeça sobre a vida e falar um moooonte de besteiras tb, pq eu adoro falar porqueiras e dar mta risada...=P
Adoro o que vc escreve...lindo como sempre!
Quando não apareço aqui é só pq me perdi no meu universo paralelo e me atrasei, mas sempre venho e comento todos...rs
Bjosssss

Cin disse...

Eu adoro seu jeito de escrever.
Bjinhos!

Cin disse...

Eu adoro seu jeito de escrever.
Bjinhos!

Carol Freitas disse...

Ai, que lindo, esse último texto.
:(
adoro coisas melancólicas, nã!!!
haha

beijo

Solin disse...

Putz... memórias de um sorriso teu me fez pensar no tempo dias em que eu saia pela cidade com as amigas afim de zoar ou só andar mesmo. era muito bom. Mas tudo muda... a vida , as pessoas...
nostalgia ¬¬

Lindo!

Suzi disse...

Esse Português próprio de Portugal, rico em palavras e tempos verbais que não nos são usuais, estampado aí em "Memória..." é sempre gostoso de ler.
Apetece-me.
rs*

Ordisi Raluz disse...

Bem escrito, na primeira pessoa, Ana. Grato pela visita; apareça sempre. Mas cuidado! Lá, às vezes, como vc viu, a primeira pessoa pode ser um inseto!!! rs.

Beijos.