7.8.07


Uma História De Amor

Felicidad tinha 17 anos, usava uma boina vermelha de veludo e uma longa trança de cabelos negros e lisos tais como os de sua mãe. Tinha os olhos verdes escuros, um rosto pequeno, delicado e bonito . Um corpo esguio quase parecido com o de um menino ou de uma top-model. Não falava bem o francês e há um ano morava num quartinho escuro num porão de um galpão no bairro boêmio de Montmartre. As paredes de madeira eram enfeitadas com páginas de revistas de viagens. Lugares que um dia ela sonhava conhecer. Pequenas almofadas coloridas costuradas por ela mesma e algumas flores colhidas no jardim público davam alguma cor e vida àquele lugar.

Semana após semana lutava contra o olhar cobiçoso do senhorio. Cada vez que explicava que ainda ia conseguir o dinheiro do aluguel, ele a olhava pornograficamente e dizia alguma quase obscenidade que ela fingia não ouvir.

Tinha fugido da casa da mãe, uma imigrante venezuelana, pra tentar seguir sua vida sozinha. Todas as madrugadas perambulava nas ruas boêmias de Paris se misturando ás prostitutas mais velhas que tinham um carinho especial por ela.

Um dia um Crysler preto a abordou, dentro dois rapazes de boa vida, classe alta. Ofereceram 100 Euros, por isso, mesmo com medo e contrariando o conselho de Rita, sua amiga de calçada, ela entrou no carro. Não queriam sexo, apenas desejavam fazer um filminho. Felicidad os levou para seu quartinho. O mais jovem queria bater nela enquanto o outro filmava, mas o mais velho se recusou a fazê-lo. Felicidad ficou com medo e expulsou os dois garotos bêbados de lá, os ameaçando com um velho revólver que guardava na gaveta. Mas ficou grata ao rapaz mais ajuizado.Tão bonito ele...

Dias se passaram. E novamente, uma noite o Crysler preto. Dessa vez, apenas um dos rapazes. O mais bonito, o que a havia defendido....Noite após noite Rita viu Felicidad entrar naquele grande carro preto. Felicidad estava nas nuvens. Dizia à Rita que tinha encontrado seu príncipe. André era um rapaz de 22 anos, quase formado, de uma família influente de Paris. Amava Felicidad. Desde aquela noite a figura daquela jovem de grandes olhos verdes escuros não sai de sua cabeça e ele não pôde resistir . Voltou a procurá-la.

Começaram um quase namoro clandestino. Ele ia todos os dias buscá-la na calçada antes que qualquer cliente a procurasse. Pagava o aluguel dela com a mesada que o pai lhe dava . Faziam piqueniques no terraço do velho prédio onde Felicidad morava. André desejava Felicidad mas a respeitava e tudo que tinha era calorosos beijos. Ela resistia. Mas cada vez mais se desejavam. Havia um segredo. André sabia. Embora Felicidad não tivesse lhe dito. Ele sabia....


(continua...)

6 comentários:

Márcia(clarinha) disse...

Maravilhosa escritora de volta e eu boba,boba, só pq sou sua amiga, rss
Qual será o mistério que envolve Felicidad?
linda noite Aninha
beijos

Ana D disse...

rsrsrs..uai, escritora, EU ???? Eu só conto umas historinhas pra passar o tempo rsrs..Na verdade talento, disciplina e vocação tem vc :) 1 livro e tantas mais deliciosas palavras vc ja tem pela sua vida ...Mas fico feliz q goste de vir por aqui ler meus "causos" hahahaha...Grande beijo ...

Mônica disse...

a boa Ana D de volta com suas histórias....obaaaaaaaaaaaaaaa!

Jana disse...

Uii ta otimo, to me roendo pra saber o resto!!!!

Beijos

Thaline disse...

eu gosto de histórias de amor. :D

Jôka P. disse...

Ana, você é sempre sensível e muito talentosa.
Beijos e obrigado pelo carinho de sua visita !