18.3.06


A Paixão Cega e a Morte Anunciada

Uma poça de sangue vermelho vivo faz um desenho abstrato, metade no chão de tábuas corridas, metade manchando o tapete gasto. A mancha se move lentamente até a porta, como que ainda contendo vida, tornando-se cada vez maior. A angústia da morte muito presente no ar. Nas paredes marcas de mãos arrastadas em desespero, de um corpo que jaz no pátio do prédio e que lutou antes de cair ....
Uma sala mal decorada, pequena, opressiva, com duas colunas mal postas bem no meio do ambiente... Num canto, com rosto alterado, mãos para trás algemadas, um homem jovem olha através da grande vidraça que da para a rua. Pequenos pingos vermelhos caem de suas mãos ensangüentadas. Ele esta estático, como que entorpecido.
Eu sinto o peso da morte e tento escapar pelo pequeno espaço que ficou entre tu, eu e a porta. Ouço os gritos, a discussão, o desespero, as acusações...Aperto os olhos, tudo se confunde, os fatos vem e vão sem ordem.... Me vejo subindo em um só fôlego as escadas em espiral ate teu apartamento, abrindo a porta num ímpeto...Me vejo chorando... Sinto uma dor como que se uma faca entrasse em meu peito, caminho, tento alcançar a janela para respirar, já que o ar me falta....Depois escuridão e me sinto flutuar como que numa queda em câmera lenta...Volto ao momento em que abro a porta do teu apartamento, mas tu já não estavas la, tinhas passado por mim no corredor, cabeça baixa, enquanto uma pessoa estranha te sussurrava algo que eu não consiguia ouvir... Não tinhas me enxergado, possivelmente por estares prestando atenção ao homem. Fiquei parada no meio da sala em desordem, tentando por em ordem meus pensamentos... Só ao sentir o cheiro de tabaco no ar me lembrei de teus dedos a me tocar o rosto onde escorriam lagrimas de ódio, paixão e desespero...O teu toque era trêmulo, tu também havias gritado, chorado, batido os punhos sobre a mesa..Tanta coisa amarga, pesada, trágica havia sido dito naquela sala...Tantos rancores e sentimentos mal resolvidos...Eu não lembrava o desfecho daquela tarde escura....So sei que enquanto chorava por ti em meio a desordem do ambiente, junto à janela, no meio dos vidros partidos, te segui com o olhar. E enquanto tu entravas naquele carro preto e desaparecias naquele dia cinza, que já se transformava em madrugada, minha alma gelava pela certeza que esta seria a última visão que eu teria de ti...Tu partias e eu também...

27 comentários:

Claire disse...

Oi, Ana. Afinal vim conhecer sua casa nova.

Mônica disse...

agora sim...qdo vi seu retorno tentei comentar e nada....deixei até recado pra ti no orCut

feliz retorno a blogosfera, querida

beijos

Jana disse...

OLha estranho isso, esse texto me pareceu tão meu... É lindo, mas infinitamente triste...

Feliz de mais por estar te lendo novamente, vou arrumar o link!

Beijos

Ela disse...

Nossaaaaaaaaaaaaa ruiva...to até arrepiada!!!!!
Além de mortaaaaaaaaaaa de saudades!!! Preciso muito te ver!!!
Uma beijoca...espero te ver hoje a noite viu???

Márcia(clarinha) disse...

Cruel...mas lindamente descrito!
linda semana minha querida Aninha,
beijosssssssssss

J Lívio disse...

Oi..valeu a visita e tou vendo que temos bem mais em comum que o nosso template. Li pouco hj porque tou morto de sono, mas venha pra ler mais e os mais antigos! Té mais!

Anônimo disse...

AnaD,minha querida amiga(sumida )mas retornando em grande estilo!Que casa bonita!Adorei!Saudades MESMO. Andei voando por aí tambem...É bom um descanso da gente(para nao cansar os amigos(rs...)Estava escrevendo o novo endereço incorretamente(é tanto tracinho (que nao sei se é uma ponte ou trilho(rs..)metaforas...aliás eu adoro as duas,com elas dizemos muito.Bem Vinda,sempre,querida.Logo,logo mexo no link.Na via virtual sabemos que os amigos podem ir como as aves buscando as novas estaçoes(saber conviver com isso é amadurecer prá vida,creio.Vivo o gosto de te-los aui e agora(nao podemos prender os pássaros livres!Que voam e retornwm no seu tempo ,nas estaçoes própria).Querida.belo texto(eu estive em tempo de crise igual,hoje tudo mais calmo(é OUTONO(rs..)ate na alma.Gosto dessa calmaria dessa noçao de vai e vem das coisas...Por isso o mar me fascina.BOM DIA,querida.Ps(no visualizar o texto está dando anônimo,Mas me identifico:é a IZY que manda um beijão,a famigerada anarkista(rs...)Continuamos na boa caminhada.

Mr. San disse...

Que história estranha. A narradora pertence a que mundo, afinal: o dos vivos ou o dos mortos? Será a noiva-cadáver? rss. Mistérios de D. Ana, muito além da tempestade...

Soph disse...

Que história tão triste...

A Primavera... pede coisas mais sorridentes!

Beijinhooooooooooo

Marcela disse...

Afe! Te achei no blog da Mônica e vim correndo, quando cheguei aqui te reconheci logo de cara. Lindo como sempre Ana D. (e é com os olhos cheios de emoção que escrevo isso...). A Sodade é grande e seu post do 13/03 parece que foi tirado da minha alma, porque também tenho vontade de voltar, mas não sei como. Desejo sorte e um céu azul cheio de estrelas pra brilhar com você e com o seu amor...[Deixo flores] :´) Marcela...

Ana D disse...

E volte quqndo desejar Claires ...Grande abraço :)

Ana D disse...

Mõooooooooooo saudade como vc esta ?? E só vc mesmo atenta e aca descolada pra me dar uma luz nesse blogspot q num manjo nada kkkkkkkkkkkkkk beijão...

Ana D disse...

Jana as vezes umas historias nos parece familiar ne ? ja me aconteceu ler tuas palavras e desejar te-las escrito rsrs..beijão

Ana D disse...

hahaha mas pa vc se "emotivar" nem precisa muito ne ? kkkkkkkkkk Pronto ja no svimos ontem k beijos mana querida :)

Ana D disse...

Marcinha vc quando diz que ta bom, eu acredito rsrsrs....beijos beijos

Ana D disse...

Livio quando a insonia bater pode voltar rsrsrs...abraço

Ana D disse...

Izy q comntario especial...Eu entendo suas divagaçoes sempre rsrs...acho q somo sfeitas da mesma materia kkkk...grande beijo querida :)

Ana D disse...

Sr. San é que "as vezes céu azul", "as vezes tempestade"...esse é meu lado esquisito:textos sinistros ??? estranhos ?? Hunn num filme eu colocaria o J.Deep como o noivo e a Cristina Ricci como a noiva cadaver..q tal ? kkkkkkkkkkk

Ana D disse...

Soph querida é esquisita a historia mesmo rsrsrs...mas como disse ai pro Sr. San, essa historia fazarte das "tempestades" rsrsr..beijo :)

Ana D disse...

Maaaaaaaaaaaaaa q bom q me achou rsrs...Eu te linkei e fui la no Verbo rsrs...Olha so, volta ai, faz q nem eu : sem compromisso, so por vontade :) A gente espera ta ?? beijo e saudade :)Como ta a vida e o amor ?

Carolzinha disse...

Mas que fofa!
x)
Gostei daqui também! Seja bem vinda por lá sempre.

Carolzinha disse...

Mas que fofa!
x)
Gostei daqui também! Seja bem vinda por lá sempre.

Cecilia disse...

Ficou profissional isso aqui. Pense num negócio bem escrito, terminei de ler sentindo angústia da cena...

Dona Gérbera disse...

Que post é esse???

Ana D disse...

Ceci, é meu lado opressivo vindo a tona...a tal da tempestade kkkkkkk...mas é só quando sento no PC e me vem estas cenas doidas pra escrever kkk...Depois eu volto ao normal rsrs...eu sou basicamente saltitante kkkkkk..beijokas...

Ana D disse...

GerberaLaranjinha do meu coração q foi ??? rsrsrsrs...ahhhh é q agora eu tenho um vizinho q deu pra tocar orgao :| fantasmagorico..putz o cara podia tocar guitarra ou bateria ne ?? ai eu fico escutando ele e me vem estas historias na cabeça kkkkkkkkk....beijokas :)

Dona Gérbera disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!! Órgão fantasmagórico????!!! É bem a trilha deste post mesmo!!! KKKKKKKKKKKKKKKKKK!!! Adoro vc!!! E tô amando essa volta!!!